terça-feira, 8 de agosto de 2017

Conhecendo a luz do dia

Estar na caverna é ficar na zona de conforto, é contentar-se com o mundo conhecido. Ultrapassar as limitações de nossas vivências e crenças, avançar em relação ao senso comum, exige uma curiosidade filosófica. Esta, por sua vez, nos leva a indagar sobre o que há para além daquilo que se apresenta como "realidade". É somente a partir da compreensão de que tudo que vemos e sabemos (?!) foi conformado a partir de construções sociais que poderemos expandir nossa compreensão sobre o estado das coisas.
Esta atitude filosófica deve permear todas as relações sociais e institucionais. Entretanto, ela não ocorre do dia para noite, faz-se necessária uma educação libertária, que permita o desenvolvimento de um raciocínio questionador. Neste sentido, a instituição escolar deve possibilitar aos seus alunos o contato com outras possibilidades de compreender a vida, que o estimulem a sair da "caverna", da escuridão da ausência de conhecimento. Para tanto, a figura de um professor questionador e que se posiciona criticamente é fundamental. Tal postura configura-se em um convite para um passeio à luz do dia. 

[Tarefa de Pedagogia - Psicologia da Educação]

Nenhum comentário: