terça-feira, 12 de julho de 2016

Mariana

Ela curte samba e curte gente. Gente que vive e sente. Gente que labuta e constrói suas memórias. Gente que, por mais que cante, nem sempre tem voz. Assim é o Brasil de tantas gentes mudas, das quais as vozes calam em seu peito. A brasilidade dEla poderia ser definida no jargão "não desiste nunca", até porque a sorte nunca lhe foi de facilitar. Se não fosse pela teimosia em viver, experienciar e mudar o mundo e destinos, já teria se rendido aos (dis)sabores da ignorância.