segunda-feira, 27 de junho de 2016

Eu costumava escrever...

Eu costumava escrever...

Alguns hábitos vão desaparecendo com o tempo, perdendo-se no todo de uma vida, que, quando lemos, são apenas memórias de uma prática agora já esquecida. 
Não acho que perdi a capacidade de escrita ou a poesia que existia em mim. 
É que me sobrava algo. E eu poderia dizer tristeza, porque em geral meus textos abordavam amores não correspondidos. Mas agora, passados mais de dois anos sem publicações sistemáticas, entendo que o que me impede de escrever não é a alegria que me tomou e mudou meus rumos, mas a ausência de tempo, que, quando sobra, acabo investindo em outros ócios não tão criativos assim.
O trabalho transforma a percepção da vida; muda as prioridades.
O meu nome, a minha profissão, meu vocabulário e minha imagem dirão, à sua maneira, do meu futuro e daqueles que dependem do meu trabalho para seu desenvolvimento intelectual. Afinal, no meu aqui e agora estão inscritos sujeitos com os quais me importo e para os quais posso servir como exemplo. Meu esforço pessoal, ligado a esses fatores, trarão - ou não - bons frutos.

Se não escrevo com frequência é porque o meu tempo tem sido investido naquilo que hoje é importante para mim, não no que ontem fui para você. 




Um comentário:

Nanna disse...

é bom que certos hábitos esquecidos voltam repaginados. a gente amadurece e tem coisas mais interessantes sobre as quais falar. você que escreve bem e a literatura sempre vai estar por perto ;)