domingo, 19 de junho de 2011

felizes para sempre

Tantas vezes a vi chorar, às vezes anestesiada e pensava que não merecia aquilo, que não poderia seguir com a dor da incerteza e insegurança. Mas ela não desiste fácil, e mesmo com o coração quebrado, seguiu até onde achava que deveria seguir. Ela sabia que estava correndo o risco de perder seu tempo tentando ajudá-lo, mas seguiu em frente, porque ela não tem medo, ela não quer se arrepender do que não fez. A esperança e o amor não a deixam desistir e nunca deixarão! Está feliz e tranquila agora, com o coração batendo no ritmo da melodia que a levará para a felicidade, pois essa felicidade também pertence a ele, que também luta para que isso acabe em um “felizes para sempre”. 


daqui: http://comigoascoisasacontecemassim.blogspot.com/ para mim. 


[obrigada, ju, por sempre estar comigo! (L)]

terça-feira, 7 de junho de 2011

Querida Alice - carta nº02

Como tens passado? Espero que, diferente de mim, você esteja maravilhosamente bem. 

Imagino que deves estar furiosa comigo. Em minha última carta, eu sei, não fui muito gentil. Eu só estava com medo. E, ao contrário do que as pessoas pensam por eu ser um lenhador, sempre tenho medo, principalmente de me machucar. E mais: machucar as pessoas. 

Após a última carta me senti, de certa forma, aliviado. Era como se novamente eu só fosse responsável pela vida da Chapeuzinho, não pela sua. E então os dias foram passando... E como eu desejava saber sobre o cotidiano do País das Maravilhas e tudo que trazia cores à você! 

Julguei ser tarde. Eu havia escolhido. Não podia e nem queria voltar atrás. Pensava que conseguiria sem você. Mas caminhar pela floresta sem estar de mãos dadas contigo é tão triste! 

E, com o tempo, tudo o que eu mais queria era ter você novamente. Mas eu pensava no que havia passado e, mais uma vez, sentia medo. 

Estaríamos dispostos a arriscar outra vez? Você estaria disposta a deixar de tomar a poção que dá entrada às suas maravilhas? E em meio a tantos pensamentos, continuei a fugir do que o meu coração pedia. 

Quando fiquei doente percebi que quem eu gostaria que estivesse ao meu lado, preparasse chá e fizesse cafuné não estava lá e era só você, ninguém mais. 

Foi na distância que verdadeiramente percebi o quanto gosto de você e que juntos, se você quiser, podemos superar tudo. E agora que você está decidida, as coisas podem ser diferentes. Seremos uma família. Não importa se somos de histórias diferentes, daremos um jeito. 

Eu quero sonhar e realizar contigo, basta você voltar para mim e dizer sim.


Eu amo você, Alice.

Com amor e saudades,
o Lenhador.