quarta-feira, 9 de março de 2011

pra mim

"Para você


Sê do fim, todo o caminho
E dos montes, o cansaço
Sê da dor, todo o espinho
 e dos medos... o amparo.

Caso enferma diz: Eu saro.
mesmo em face da desdita,
Tu desdenhas... ri do fardo
Só enxerga o que acredita.

Crê que só a bravura justifica
os males por que passamos
Vê, que a audácia que em ti habita
sustenta-nos pois, a ambos.

Transforma a incerteza em planos
E as trevas transforma em luz
Minha palavra pra ti é: Sigamos

na estrada que o amor conduz."


Rodrigo Pietrobelli




na estrada que o amor conduz.

terça-feira, 8 de março de 2011

riminhas pobres

ainda que eu soubesse rimar
nada do que eu escrevo te faz parar, te faz ficar, te faz me amar.

constatação do dia:

as pessoas eram mais felizes [e não sabiam] antes da tecnologia!


[e o telefone que não toca. e a mensagem que não chega.]

domingo, 6 de março de 2011

eu queria escrever poesia como aquelas que você faz

eu queria escrever poesia como aquelas que você faz e falar das sombras e do medo, daquilo é que comum àquela gente.
eu queria escrever poesia como aquelas que você faz e falar dos que tem fome, falar por quem não tem voz.
eu queria escrever poesia como aquelas que você faz e contar às pessoas a respeito do que acontece lá fora, nas ruas, no escuro.
eu só queria escrever poesia como aquelas que você faz, não rimar, nem ter métrica, ter apenas um porquê.

tudo de mim

fazia muito tempo que eu não me sentia assim, tão viva e feliz.

"e tudo o que eu posso fazer é retribuir o seu carinho te dando o maior amor que alguém já pode sentir."








(dois de março -  guardem essa data!)