sexta-feira, 28 de maio de 2010

Frente, Bizarre Love Triangle

Toda vez que penso em você
Eu sinto passar por mim
Um raio de tristeza
Não é um problema meu
Mas é um problema que eu achei
Vivendo esta vida que não posso deixar para trás
Não faz sentido em me dizer
Que a sabedoria de um tolo não vai te libertar
Mas é assim que as coisas são
E é o que ninguém sabe
E a cada dia que passa minha confusão cresce
Toda vez que te vejo caindo
Eu fico de joelhos e rezo
Estou esperando pelo momento final
Quando você dirá as palavras que não posso dizer
Eu me sinto muito bem
Eu me sinto como nunca deveria me sentir
E quando eu fico assim
Eu simplesmente não sei o que dizer
Porque não podemos ser nós mesmos
Da mesma forma que fomos no passado
Eu não tenho certeza do que isso significa
Eu não acho que você é o que parece
E na verdade admito para mim mesmo
Que se eu machucar outra pessoa
Eu jamais verei
O que na verdade deveríamos ter sido
Toda vez que te vejo caindo
Eu fico de joelhos e rezo
Estou esperando pelo momento final
Quando você dirá as palavras que não posso dizer
Toda vez que te vejo caindo
Eu fico de joelhos e rezo
Estou esperando pelo momento final
Quando você dirá as palavras que não posso dizer
.
.
.
Veja/Ouça: http://www.youtube.com/watch?v=IJ1c9ErCn7w

domingo, 16 de maio de 2010

As coisas são tão mais lindas...

"Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só reconheci suas cores belas quando eu te vi
Entre as coisas bem-vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela então eu me vi

Está em cima com o céu e o luar
Hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas
E séculos, milênios que vão passar
Água-marinha põe estrelas no mar
Praias, baías, braços, cabos, mares, golfos
E penínsulas e oceanos que não vão secar

E as coisas lindas são mais lindas
Quando você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas
Porque você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas"
.
... com ele.

terça-feira, 11 de maio de 2010

11 de maio de 2010 - à noite

Ainda no começo, quando o coração batia sem ritmo, eu já o observava: olhava, com atenção, por exemplo, os movimentos com os quais ele cruzava os abraços e como, timidamente, desviava o olhar. Eu ainda não o conhecia e o queria ainda mais por isso.
Gostaria de chegar mais perto, mas não sabia como. As palavras vinham a mim, mas me escapavam feito água escorrendo pelos dedos. Permaneci calada. Enquanto isso, eu continuava a observá-lo. Com o tempo, decorei seu horário de chegada e secretamente o esperava. Quanto mais perto da hora d’ele chegar mais meu coração ficava agitado. Foi, então, que eu comecei a entender o que estava acontecendo.
Num dia qualquer, daqueles que você não espera nada, ele chegou mais perto. Estavam todos ali, ao redor, mas eu queria conversar somente com ele. Durante nossa conversa, descobri o preço da felicidade: era ele.
Conversamos muito naquela noite, tanto que nem sei, mas, para mim, não era suficiente. Eu queria mais. Ainda me faltava muito para saber até desvendar todo aquele mistério...
Combinamos de conversamos outra vez, no fim de semana seguinte, mas eu não consegui esperar. Longe dele o tempo passava arrastado e as horas tornavam-se horas eternas. Eu queria tê-lo comigo, mas tinha medo. Ele mantinha meus pés no ar. Todo o momento com ele era repleto de insegurança: eu nunca sabia o que ele estava pensando. Disfarcei o medo e antecipei nosso papo para o meio da semana. E como era bom estar com ele...
Nos vimos mais alguma vezes, enquanto colegas, e quando senti que aquele sentimento que compartilhávamos estava se transformando, eu quis fugir. Prometi a mim mesma me afastar. Eu já havia machucado pessoas e me machucado bastante até ali e não desejava passar por aquilo novamente. E machucá-lo seria uma dor insuportável, da qual jamais quero provar o sabor.
Tentei permanecer distante, mas quanto mais desejava me afastar mais o trazia para perto de mim, no coração. Decidi, então, me permitir. Estava cansada de fugir dos meus sentimentos. Eu sabia de que poderia me ferir, mas queria correr o risco. Por ele toda a dor valeria a pena. Eu estava apaixonada, e já não importava com o que os outros iriam pensar. Era ele.
Com o passar das conversas e das horas, que agora passavam muito rapidamente na companhia d’ele, eu pude ir juntando as peças do quebra-cabeça e, aos pouquinhos, desvendando o mistério que ele era para mim.
Quanto mais eu o conheço, mais o admiro e o quero bem. Quanto mais eu o ouço, mais aprendo sobre o que ele sabe sobre as coisas e sobre a vida. Quando mais eu fico com ele, mais eu quero ficar. Ele me traz cores, traz ritmo ao meu coração, que bate muito, muito, muito rápido.
Ele me faz forte, como o amor, e me faz querer continuar, com ele, reto toda a vida.