quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Momento auto-ajuda pé pra baixo.

É engraçado como em tudo o que fazemos queremos impressionar alguém, por mais que a gente saiba que não precisamos daquilo efetivamente. Porém, o reconhecimento faz bem pro ego.
Todavia, a insegurança na tentativa de impressionar é uma loucura!
Tira nosso pés do chão quando mais queremos que estes ali fiquem colados.
Quanto mais queremos impressionar, mais fazemos tudo errado. Ga-ga-gaguejamos, falamos coisas não pertinentes, tropeçamos (fisicamente falando!), derramamos suco na camisa e demais desastres afora.
E quando queremos impressionar alguém realmente importante cometemos erros duplos, tanta a gana de fazer-se notável.
Uma dica? Seja você.
O que trazemos do coração é muito maior e mais - desculpem a brincadeira com o termo - impressionante do que qualquer estratégia que nossa máquina cerebral de articular planos fantásticos pode imaginar. O coração é puro. As pessoas percebem isso. E é isso que as impressiona e as fazem lhe prestar o devido reconhecimento.
A sua garra, a sua força de vontade e o desejo mais íntimo e sincero do seu coração impresionam muito mais que uma roupa bonita e um sorriso forjado.

Abra seu coração e deixa eu me impressionar por você!

Cheirinho de vida, cheinho de vida.

Cheirinho daquilo que não se deve pronunciar o nome e que faz tão bem. Cheirinho da felicidade e irradiação. Cheirinho do incerto, que faz bem. Cheirinho de arco-íris. Cheirinho de frio na barriga. Cheirinho de pipoca de chocolate. Cheirinho do faz-de-conta. Cheirinho irradiação posterior. Cheirinho de início. Cheirinho de fim. Cheirinho do quero-mais. (...) Cheirinho de vida, cheinho de vida.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Ser Adulto

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa:
- ‘Ah, terminei o namoro…
‘- ‘Nossa, quanto tempo?’
- ‘Cinco anos… Mas não deu certo… Acabou’
- É, não deu…?
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro.
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona…
Acho que o beijo é importante…e se o beijo bate…se joga…senão bate…mais um Martini, por favor…e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto.
Ele titubeia, tem dúvidas e medos mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer…
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.

Enfim… Quem disse que ser adulto é fácil?


Arnaldo Jabor.