terça-feira, 7 de julho de 2009

Carta, por Bic Muller.

Foi este o título de um texto que a Bic me mandou há um ano, ou mais.
Segue, abaixo, o trecho mais bonito em minha opinião:
"Sei que arrombar a sua porta aos pontapés não foi a melhor opção, remexer as suas feridas buscando mais do seu sangue só me fez querer te abraçar mais, sei que o meu desespero gritou nos seus ouvidos até eu perder a voz, sei que quebrar os nossos sonhos na parede não adiantou pra nos fazer descer desta roda gigante na qual estamos, tantos altos e baixos e bilhetes escritos junto ao café da manhã.

Faz tanto tempo que isso acabou de começar. Fazia tanto tempo que eu estava sem você."